quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

PENSO EM TI

Penso em ti quando solto,
o lobo dos sentidos salta sobre mim
na sede indizível dos perdidos.
Penso em ti, na noite, antes perfumosa,
a devassar janelas e lençóis.
Agora, névoa, visgo de dor
que atravesso entre gemidos.
Penso em ti quando se alteia
o mar e, músico, deixa no ar
um tremor, um alarido,
tal qual o amor.
Penso em ti quando
recua o mar
levando o espanto de todo início
e, vago, deixa o sal
para que nada morra
nem a saudade do que hoje é findo.

[Saramar]

Um comentário:

  1. QUE LINDO AMIGA TU SABES COMO CHEGAR NAS PALAVRAS.
    bEIJOS E BOA NOITE

    ResponderExcluir